A Clínica Estomaplast realiza tratamentos com foco em responsabilidade social e no atendimento a pacientes com feridas, úlceras de perna (venosa, mista, arterial), úlcera por pressão, lesões em pés diabéticos, deiscência, cuidados com estomias e incontinência urinaria.

Acompanhamos e indicamos as condutas terapêuticas de produtos para saúde e a utilização de terapia com hidrozonioterapia. Trabalhamos também com a capacitação de profissionais da área da saúde de diversas instituições, informando sobre novas tecnologias no cuidado das complicações já listadas acima e como utilizar os produtos de maneira adequada.

Nesta página vamos apresentar alguns de nossos tratamentos realizados em atendimento domiciliar e na própria Clínica Estomaplast, acompanhados por um especialista em Estomaterapia, mostrando a evolução dos cuidados nos tratamentos de lesões e estomas com suas diferentes patologias e complicações.

Todos os casos divulgados nessa pagina tem autorização dos pacientes e cuidadores, é expressamente proibida a reprodução dos mesmos sem autorização da Estomaplast.

Erisipela

A.L.S.S, 89 anos, sexo feminino, do lar, residente em São Paulo – SP, atividades diárias preservadas. Portadora de HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica) e DP (Doença de Parkinson).

Paciente encontrava-se com erisipela em membro inferior direito. Ao exame físico constatou-se pele com erupções cutâneas, ressecamento, eritema, hiperemia e edema. Paciente com aparente bom estado nutricional.

Duração do tratamento: 2 semanas

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

Limpeza da Lesão:

  • Hidrozonioterapia;
  • Solução PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Desbridamento mecânico.

Curativos primários:

  • Gel PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Membrana de celulose bacteriana porosa.

Curativos Secundários:

  • Terapia Compressiva inelástica (Bota de Unna)
  • Bandagem secundária (Atadura de crepe).

EVOLUÇÃO EM 2 SEMANAS

Úlcera Venosa

D.S.G, 82 anos, sexo feminino, do lar, residente em Mauá – SP.  Portadora de DM (Diabetes Mellitus), HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica) e arritmia cardíaca. Fazendo uso de furosemida e cloridrato de amiodarona. Ao exame físico, deambulação prejudicada, verificou-se uma inadequada perfusão tecidual periférica em membro inferior direito, pulso pedioso presente, regular e filiforme. Lesão medindo ↨13,0 cm X ↔7,0 cm, apresentando necrose tecidual coagulativa em tendão de calcâneo, bordas aderidas ao leito, exsudato moderado de cor amarelada, odor característico e edema. Ao doppler dos membros inferiores não foi diagnosticado obstrução arterial. Concluiu-se que a lesão foi decorrente de problemas vasculares evoluindo para uma úlcera venosa isquêmica (fig. 1).

Duração do tratamento: 23 semanas

Conduta de tratamento do dia 04/06/2016 a 22/06/2016

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

Limpeza da Lesão:

  • Hidrozonioterapia
  • Solução PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Desbridamento mecânico e instrumental.

Curativos primários:

  • Creme barreira;
  • Gel PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Hidrogel Armofo;
  • Membrana de celulose bacteriana porosa;
  • Pasta Amorfa de Alginato de prata;
  • Hidroalginato com prata não aderente.

Curativos Secundários:

  • Terapia compressiva inelástica (Bota de Unna);
  • Bandagem secundária (Atadura de crepe).

OBS: Paciente fez uso de diversas terapias durante o tratamento

EVOLUÇÃO EM 23 SEMANAS

Úlcera Venosa em MID

R.M.S, 61 anos, sexo feminino, viúva, residente em São Paulo – SP, portadora de HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica), insuficiência venosa em membros inferiores, fazendo uso de hidrocloratiazida e venaflon. Paciente com lesão em membro inferior direito (úlcera venosa infectada), fazia tratamento em uma Unidade Básica de Saúde no interior do Paraná, quando após uma indicação de amputação recorreu a cidade de São Paulo. A mesma iniciou o tratamento na Estomaplast dia 23/01/2016, encontrava-se com dor intensa, dificuldade para deambular, edema, lesão com hiperqueratose, bordas aderidas, exsudato purulento em grande quantidade.

Duração do tratamento: 10 semanas

Conduta de tratamento do dia 23/01/2016 a 12/11/2016

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

Limpeza da Lesão:

  • Hidrozonioterapia;
  • Solução PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Desbridamento mecânico e instrumental.

Curativos primários:

  • Creme barreira;
  • Gel PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Espuma de Poliuretano com alginato de cálcio e prata;
  • Hidroalginato com prata não aderente;
  • Pasta Amorfa de Alginato de prata;
  • Membrana de celulose bacteriana porosa;

Curativos Secundários:

  • Gaze algodonada;
  • Gaze não tecido;
  • Terapia compressiva elástica;
  • Terapia compressiva inelástica (Bota de Unna);
  • Bandagem secundária (Atadura de crepe).

OBS: Paciente fez uso de diversas terapias durante o tratamento

EVOLUÇÃO EM 10 MESES

DEPOIMENTO RAIMUNDA

Úlcera Venosa III

F.B.M., 64 anos, sexo feminino, do lar, residente de São Bernardo do Campo – SP. Portadora de Hipotireoidismo e Osteoporose.

Em dez/2016 paciente relata início de edema importante em membro inferior direito, surgindo ferida na face interna do membro e apresentando muita dor. Procurou a Estomaplast em 28/12/16 iniciando o tratamento. Na primeira avaliação apresentava edema e dermatite ocre em membro inferior direito, uma úlcera venosa com bordas aderidas, recoberta por necrose seca, exsudato purulento em quantidade pequena e queixa de dor. Realizado doppler dentro da normalidade.

Duração do tratamento: 12 semanas

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

Limpeza da lesão:

  • Hidrozonioterapia;
  • Solução PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Desbridamento mecânico e instrumental.

Curativos primários:

  • Gel PHMB (Polihexametileno guanidina);
  • Espuma de poliuretano com alginato de cálcio e prata;
  • Membrana de celulose bacteriana porosa.

Curativos Secundários:

  • Terapia Compressiva inelástica (Bota de Unna);
  • Bandagem secundária (Faixa crepe).

EVOLUÇÃO EM 12 MESES

DEPOIMENTO FRANCISCO

Úlcera Venosa Lesão 27 Anos

Paciente: M.B.S.S

Sexo: Feminino

Idade: 58 anos

Obs: Aparentemente em bom estado nutricional.

Apresenta como patologia de base: Hipertensão essencial – SIC a lesão em MID, úlcera venosa tem aproximadamente 27 anos. Estava em tratamento no Hospital Público em atendimento Ambulatorial.

Inicio de Atendimento: Domiciliar com úlcera venosa em MID, medindo 10 cm x 9,5 cm lado interno e lado externo 9 x 10 cm; apresentando tecido desvitalizado, com tecido de granulação friável; com presença de sangramento na lesão, mesmo utilizando técnica de limpeza; alteração da cor dos tecidos nas margens e no leito da ferida. Tratamento anterior utilizando cobertura com Hidrogel.

Lado Interno
27/03/12

Lado Interno 14/04/12

Lado Externo 27/03/12

Lado Externo 14/04/12

A LESÃO

Lado Interno: Leito da ferida com tecido de granulação friável, medindo 10 cm x 9,5 cm e 6 cm x 4 cm, apresentando esfacelos e necrose ao redor da ferida, alteração da cor dos tecidos nas margens e no leito da ferida.

Lado Externo: Leito da ferida com tecido de granulação friável, medindo 9 cm x 10,cm , apresentando esfacelos e necrose ao redor da ferida , alteração da cor dos tecidos nas margens e no leito da ferida.

 

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

1) Curativo com técnica limpa.

2) Solução antisséptica Polihexametilbiguanida (PHMB), aplicar um chumaço de gazes embebido com a solução (PHMB) e aplicar na ferida por 15 minutos (demonstrado na imagem 1).

3) Curativo primário: Solução em gel antisséptica Polihexametilbiguanida (PHMB) + Espuma de poliuretano adicionado com alginato de cálcio e prata (tamanho 20 x 20 cm – recortavel), para troca à cada 4 dias, como na imagem 2.

4) Curativo Secundário: Gazes não tecido + compressas de algodonado + atadura de crepe 15 cm, trocar 1x ao dia.

5) Terapia Compressiva: Aplicar faixa Compressiva pela manhã e retirar a noite ao dormir (demonstrado na imagem 3).

 

RESULTADO - DEPOIS DE 2 MESES

Após 2 meses de tratamento com Solução em gel antiséptico Polihexametilbiguanida (PHMB) e em solução + espuma de poliuretano adicionado com alginato de calcio e prata.

Lado Interno: Leito da ferida com tecido de granulação, medindo 7 cm x 3,5 cm, apresentando esfacelos ao redor da ferida.

Lado Externo: Leito da ferida com tecido de granulação, medindo 3 cm x 2,5, apresentando esfacelos ao redor da ferida .

ANTES

Lado Interno (27/03/12)

Lado Externo (27/03/12)

DEPOIS

Lado Interno (04/06/12)

Lado Externo (04/06/12)

Úlcera venosa Lesão 7 anos

Paciente: O.J.D.

Sexo: Masculino

Idade: 81 anos

Obs: Acamado, orientado e necessitando de auxílio para o auto cuidado. Aparentemente em bom estado nutricional.

Apresenta como patologia de base: Hipertensão essencial – SIC a lesão em MID, úlcera venosa tem aproximadamente 7 anos, estava em tratamento no Hosp. Público no atendimento Ambulatorial.

Inicio de atendimento: Domiciliar com úlcera Venosa em MID, medindo 10 cm x 10 cm; apresentando tecido desvitalizado, com tecido de granulação friável; presença de sangramento na lesão, mesmo utilizando técnica de limpeza; alteração da cor dos tecidos nas margens e no leito da ferida; tratamento anterior utilizando cobertura com kolagenase.

A LESÃO

Inicio de Tratamento 07-04-2012 MID (Membro Inferior Direito). Apresentando a pele fragilizada e edema (++++) MIE (Membro Inferior Esquerdo). Presença de úlcera venosa com tecido de granulação em toda extensão e esfacelos ao redor da ferida, com rubor, calor, odor e apresentando dor e exsudado amarelado em grande quantidade.

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

1) Curativo com técnica limpa,
2) (PHMB) , aplicar um chumaço de gazes embebido, aplicar na

ferida por 15 minutos, após aplicar a cobertura do item 3.

3) Curativo primário: Solução em gel anti-séptica Polihexametilbiguanida (PHMB) + Espuma de poliuretano adicionado com alginato de cálcio e prata (Tamanho 15×15), para troca à cada 3 dias.

4) Aplicar na pele fragilidade e ao redor da ferida ( Creme a base Oxido de zinco) para proteger e restaurar a pele nas Pernas Direita e Esquerda.

5) Curativo Secundário: aplicação de gazes não tecido e Curativo de Algodonado 15 x 30, Atadura de Crepe para enfaixamento até panturrilha, trocar 1 x ao dia.

6) Bandagem elástica aplicar pela manhã e retirar a noite ao dormir.

 

RESULTADO - DEPOIS DE 2 MESES

Consequentemente, o tratamento com espuma de poliuretano, combinação de 100% de prata iônica e alginato de cálcio, e associada a solução e gel de (PHMB), juntos fornecem atividade antimicrobiana imediata e sustentada (pode permanecer na ferida por um período de até 7 dias) contra um amplo espectro de patógenos. Mostrou uma significaste diminuição, inclusive na dor durante o período em que o paciente permaneceu com o curativo, contribuiu para a proliferação do tecido de granulação e epitelização no leito da ferida, prevenindo também maceração na pele periférica,  diminuição do exsudato e aumento da qualidade de vida do paciente.

MID (Membro Inferior Direito)

07/04/12

09/06/12

Duração: 2 Meses

Dia da Avaliação

05/05/12 28 Dias

07/04/12 Inicio

09/06/12 2 Meses

21/04/12 15 Dias

Descolamento Mucocutâneo

A LESÃO

Estomia, apresentando descolamento mucocutâneo e ferida cirúrgica infectada, em acompanhamento ambulatorial em Hospital Público.

29/12/14

29/12/14

PROPOSTA TERAPÊUTICA:

Ferida cirúrgica: Inicio de Tratamento com Solução em gel anti-séptica Polihexametilbiguanida (PHMB) + Espuma de poliuretano adicionado com alginato de cálcio e prata

• Limpeza com Solução anti-séptica Polihexametilbiguanida (PHMB) e pasta de barreira protetora no local do estoma.

 

RESULTADO - DEPOIS DE 2 MESES

29/12/14

29/12/14

30/01/15

28/02/15